fbpx

Sem categoria

Não deixe suas emoções paralisar você!!!!!

É fato que todas as pessoas querem ser feliz, ter sucesso e melhorar sua qualidade de vida. Contudo, emoções baseadas em nossas experiências, crenças limitantes ( aquelas que acreditamos ser verdade absoluta e que está todos os dias conosco e nos limita a seguir em frente, como medo ou insegurança de algo, baseado em fatos passados).
É claro que não conseguimos controlar os fatos da vida, pois não depende de nós, porém temos que dominar como vamos lidar com eles. Digo o mesmo para nossas emoções pois somos seres humanos e sempre vamos sentir. Todavia somos nós que damos significado a tudo isso e aprender a lidar com esses fatores é a chave do sucesso.
Diante de um fato ruim, vale a pena se questionar como essa situação vai interferir em sua vida e o como irá viver a partir disso. Se esse fato vai te paralisar ou se você vai olhar e se permitir ter uma nova perspectiva de vida.
Sempre deixo claro para meus clientes do Brasil e do Exterior que nós fomos preparados para estar em estado de alerta e para sobreviver ao pior, assim nossa tendência é se proteger a todo momento e sermos mais cautelosos. Até as pessoas mais impulsivas, tende a serem assim também como ação de defesa. Todavia, podemos mudar o rumo dessa história, ter bom senso e manter o equilíbrio em nossas ações, emoções diante de todos os acontecimentos. Para isso é preciso sempre estar em contato consigo mesmo e não viver no automático e aceitar o sofrimento como algo certo em sua vida. O certo é você estar bem e ter uma qualidade de vida.
Procure trocar suas expectativas por apreciação. Ver sempre o outro lado da história, o que você aprender e ganhou com a nova experiência.
Já parou para pensar que toda situação dolorosa que você já vivenciou aconteceu para você e não para você? Que tudo aconteceu para você evoluir, ser mais criativa e se tornar mais resiliente?
É claro que você não precisa estar sempre em sofrimento para evoluir, mas caso isso ocorra entenda o porquê e para que isso aconteceu, como forma de aprendizado sempre voltado para seu processo de evolução.

Um grande abraço em conte comigo em seu processo de transformação.
Fernanda Farias
Psicologa e Coach.
CRP 06-73870

Há 15 anos ajudando as pessoas nos processo de transformação, há 5 anos tem um programa que atende pessoas no processo de transição para o Exterior ou retorno ao país de Origem.

Agende sua consulta de Coach Gratuita 11 962304168 Whatssap

Ou pelo email – contato@fernandafariaspsicologa.com.br

www.psicologafernandafarias.com.br

Não deixe as emoções interromper o seu sonho de morar no exterior.

Medo, Ansiedade, insegurança, são apenas algumas das emoções que podem determinar sua escolha, permanência ou desistência de se manter no exterior.
Atendendo mais de 5 anos pessoas que buscam o sonho de fazer o intercambio ou morar no exterior, percebo que o maior índice de interrupção acontece porque as pessoas não se prepararam para esse momento.
Quando digo se preparar, digo todos os setores: Informações sobre país de origem; Ter clareza do que se pretende nesse país; planejamento financeiro ou como se manter; preparo emocional para lidar com todos os desafios desse momento.
O preparo te ajuda a enfrentar com tranquilidade e segurança todas as adversividades, bem como aproveitar melhor todos os momentos fantásticos que essa viagem pode te proporcionar.
Sempre deixo claro e ensino, através dos meus atendimentos de coach/ psicoterapia(online/presencial), que nós não conseguimos controlar nossas emoções, nem mesmo os acontecimentos que a vida ou nossas escolhas nos traz como consequência. Contudo, podemos através do autoconhecimento desenvolver nossas habilidades e REAGIR as nossas emoções de uma maneira que possamos enfrentar e lidar com tranquilidade e segurança .
Como descrito no titulo desse texto, o medo, a ansiedade, a insegurança vão fazer parte dessa sua experiência, pois se trata de algo novo em sua vida. Essas emoções são bem vindas quando elas te levam a buscar informação, orientação e te leve a uma preparação. Preparado emocionalmente e estrategicamente(roteiro\curso\estadia * indico a dreambig.com.br ) você saberá com essas emoções e fazer com que elas te IMPULSIONE para frente na realização do seu sonho, e não paralise diante delas!
Se você chegou a ler esse texto acredito que tem o interesse de ter uma experiência no exterior. Assim faço o convite para agendar um horário e conversarmos mais sobre esse assunto. Será um grande prazer em te ajudar nessa sua trajetória.
Grande Abraço !

Fernanda Farias
Psicóloga e Coach
CRP 06-73879
Email: contato@fernandafariaspsicologa.com.br
www.psicologafernandafarias.com.br
11- 962304168 Whatsapp

10 Dicas para se manter calmo para o Visto Americano

O sonho de fazer uma viagem internacional e morar no exterior é um grande sonho para a maioria das pessoas. Muitas vezes o planejamento financeiro, conciliar as férias familiares ou a data do curso podem iniciar anos antes. Ao conseguir colocar tudo em ordem, outro quesito, muitas vezes passado despercebido começa a preocupar e para muitos até virar um grande pesadelo como o Dia da Entrevista no Consulado, que é a primeira etapa. Vale ressaltar que mesmo conseguindo visto no Brasil, não é garantida sua entrada nos Estados Unidos. Ao chegar lá, você ainda passa pela a entrevista onde perguntas semelhantes são feitas para tirar o visto e ai sim você recebe o sonhado carimbo para entrar no país. Eu posso dizer que sei exatamente o que pode vir a sentir nesse momento por experiência própria, pois passei por algum momento pelos sentimentos de insegurança, medo e ansiedade. Todos sabemos que não é confortável passar por uma entrevista( seja ela qual for, ainda para ser aprovado ou não para a realização de um sonho) Todavia, também com propriedade e experiência pessoal existem dicas que podem te ajudar nesse processo e é isso que quero compartilhar com vocês!

1- Prepare todos os requisitos necessários para viajar com segurança e tranquilidade. Isso inclui definir o local para onde quer viajar, se preparar financeiramente e os dias que pretende ficar nos Estados Unidos.

2- Caso tenha dificuldade para preencher os formulários, marcar entrevista e tenha muitas dúvidas, sugiro buscar ajuda com algum amigo que já passou pelo processo ou contratar uma agência que faça isso por você. Eu particularmente contratei uma assessoria. Passei as informações e eles preencheram e agendaram a entrevista minha entrevista.

3- Coloque numa pasta e leve na entrevista toda a documentação e informações que comprove o que irá dizer no momento da entrevista do consulado, sendo que essas informações já estará toda descrita no formulário que você enviou no momento que agendou entrevista . Ter tudo isso em mãos lhe trará segurança e tranquilidade.Assim, quanto mais verdadeiro você for no preenchimento do formulário e saber detalhadamente o que escreveu, mais tranquilo você irá.

4- Nos dias que antecedem a entrevista é natural a ansiedade se a aprovação dará certa ou não. Contudo, essa mesma ansiedade pode te atrapalhar e até mesmo te trazer pensamentos negativos. Sugiro nesses momentos, pensar que você está fazendo tudo certo, tem tudo que é solicitado e você se preparou. Foque nas atividades que está fazendo no dia, como estudar, trabalhar.

5- Tente imaginar já no local que busca viajar, tentando trazer para si a sensação de alegria e bem estar do seu lugar de destino. Isso pode te ajudar a abaixar a ansiedade e entender que você merece e pode estar no local desejado.

6- Chegue um pouco mais cedo para a entrevista e não se esqueça de cuidar de sua aparência. Não estou falando de roupas chiques ou de marcas e sim de autocuidado, afinal quem não gosta de ser recebido com educação e com vestimentas adequadas para uma entrevista. Os entrevistadores, vamos dizer assim, reparam nos detalhes e o respeito a eles é um dos quesitos importantes.

7- Enquanto espera a entrevista você vai se deparar com muitas pessoas, portanto cada uma com suas expectativas, anseios e emoções. Vale ressaltar que cada entrevista é um caso e confie em você, nas suas informações. Não se compare afinal a entrevista será individual ou familiar caso busquem um visto para mais pessoas da família. Caso perceba que está sendo “ contaminado” pela a ansiedade dos outros, procure se manter reservado e se concentrar.

8- Diante do entrevistador, seja educado e responda somente o que lhe for perguntado. Nem mais e nem menos. Contudo, isso não significa que tem que deixar sua personalidade de lado. Seja você, afinal você tem informações reais contigo.Vale ressaltar que olhar para o entrevistador e não olhar aos arredores, é importante pois demonstra seriedade e confiança .

9- Só mostre algum documento se ele solicitar. Muitas pessoas na tentativa ou de acabar logo a entrevista ou provar o que fala é verdade, começa a mostrar a papelada. Calma, se ele quiser ou perguntar “ Você tem como provar o que diz” você diz: sim, está dentro da pasta e mostre a ele.

10- Seguir o protocolo e isso inclui desde as informações necessárias, preenchimento de formulários, ser verdadeiro te ajudará a manter uma postura confiante. Tudo isso depende de você. Assim faça sua parte bem feita, com confiança e acreditando que você merece conseguir esse visto para alcançar seu objeito, até porque você merece alcançar todos seus objetivos.

Fernanda Farias
Psicologa e Coach.
CRP 06-73870

Há 14 anos ajudando as pessoas nos processo de transformação. Há 5 anos tem um programa que atende pessoas no processo de transição para o Exterior ou retorno ao país de Origem. Agende sua consulta de Coach Gratuita 11 962304168 Whatssap ou pelo email – contato@fernandafariaspsicologa.com.br

Treine seu cérebro para emagrecer e se manter magro

Médicos e cientistas são unânimes quando se trata do segredo para emagrecer: basta ingerir menos calorias do que seu corpo gasta. Isso é um conceito simples de se entender, mas muito difícil de ser colocado em prática, como se pode ver pelo aumento da obesidade na população do mundo todo. Nesses últimos anos, a ciência tem oferecido algumas técnicas inovadoras que aumentam a eficácia dos programas de emagrecimento e ajudam as pessoas a se manterem magras.

Programas de emagrecimento, em geral, fazem uso de exercícios físicos para aumentar o gasto calórico, bem como a redução da ingestão de calorias através da reeducação alimentar. Cientistas da Suécia desenvolveram programas de emagrecimento baseados em terapia cognitiva que se demonstraram eficazes para a redução de peso no curto prazo e que mantiveram seu efeito mesmo um ano e meio após o tratamento. No Canadá, pesquisadores utilizaram técnicas emprestadas da psicologia esportiva para elevar o sucesso de programas de perda de peso.

Segundo os pesquisadores do Departamento de Psicologia da Universidade McGill, no Canadá, apenas dizer para as pessoas mudarem sua alimentação não funciona. Estudos mostram que elaborar um plano concreto com objetivos e ações necessárias aumenta as chances desses objetivos serem atingidos, mesmo que o objetivo seja se alimentar corretamente. O que esses pesquisadores descobriram é que eles podiam adicionar técnicas de visualização ao plano de ação para aumentar a chance de sucesso. Essas técnicas, emprestadas da psicologia esportiva, consistiam em visualizar onde, quando e como a comida seria comprada, preparada e consumida.

Um programa desenvolvido na Suécia, no Karolinska Institutet, mostrou que uma terapia cognitiva de redução de peso de apenas 10 semanas é suficiente para garantir que os resultados sejam duradouros. Das 105 pessoas obesas que fizeram parte do estudo, os que passaram pelo programa tiveram uma perda média de peso de 8,5kg após as 10 semanas de tratamento. Após 18 meses do fim do tratamento, a perda média de peso já estava em 10,4kg. Os que não passaram pelo tratamento tiveram, durante todo o período, um ganho médio de 2,3kg.

Esse mesmo grupo de pesquisadores realizou um novo estudo comparando uma versão levemente modificada dessa terapia cognitiva com um outro programa que incluía atividade física moderada e técnicas comportamentais. Os programas consistiam em sessões de 2 horas semanais e duraram 10 semanas. A perda média de peso entre os que fizeram a terapia cognitiva foi de 8,6kg, enquanto os que utilizaram atividade física e técnicas comportamentais perderam 0,7kg. Essa diferença entre os dois grupos se manteve significativa mesmo 18 meses após o tratamento.

Mas como funciona uma terapia cognitiva? De acordo com a Dra. Judith Beck, da Universidade da Pennsylvania, a terapia cognitiva busca ajudar o paciente a superar suas dificuldades identificando e mudando suas respostas emocionais, comportamentais e psicológicas disfuncionais. Para as pessoas que querem perder peso, ela sugere o aprendizado de algumas habilidades críticas:

  1. Motivação. A primeira tarefa que elas devem fazer é escrever uma lista das 15 a 20 razões por que elas querem perder peso e ler essa lista diariamente.
  2. Planejamento e auto-monitoramento. Uma razão típica para a fracasso de uma dieta é a preferência pela espontaneidade. As pessoas devem preparar um plano e aprender a cumpri-lo.
  3. Superação de pensamentos sabotadores. As pessoas têm centenas de pensamentos que resultam em comportamentos de alimentação não saudáveis. Uma sugestão para superar esses pensamentos é sempre se lembrar de alguns pontos-chave, como por exemplo: que não compensa o curto momento de prazer de ter comido algo que não estava planejado, frente ao arrependimento posterior; que a balança não precisa diminuir todo dia; que se merece crédito por cada comportamento saudável adotado.
  4. Tolerância a fome e gula. Pessoas obesas geralmente confundem as duas. Você sente forme quando seu estômago se sente vazio. Gula é aquela vontade de comer, geralmente sentido na boca ou garganta, mesmo quando o estômago está cheio. É importante aprender a distinguir e controlar a fome e a gula.

Dessa forma, a terapia cognitiva é um complemento às dietas receitadas pelos nutricionistas e às atividades físicas, pois ela ajuda os pacientes a determinarem seus objetivos e a alcançá-los. A principal mensagem da terapia cognitiva para quem faz dieta é que os problemas para se perder peso não são culpa de ninguém. Os problemas simplesmente refletem a falta de habilidades, as quais podem ser aprendidas e dominadas através da prática, sendo incorporadas ao seu cotidiano pelo resto da vida.